saude-mental-residencial-para-idosos-cora

Quarentena: como manter a saúde mental dos idosos

A quarentena da Covid-19 impôs mudanças na vida de todas as pessoas, em todo o mundo. Portanto, abraçar e beijar para demonstrar carinho e matar a saudade das pessoas queridas, se tornaram verbos proibidos. Mas como manter o equilíbrio nesse clima de incertezas, sobretudo quando se é idoso? 

A ansiedade pode ser uma inimiga invisível tal qual o vírus. Ficar longe dos parentes, não poder sair e ter a rotina alterada de forma involuntária podem ser fatores geradores de ansiedade, ainda mais para as pessoas idosas.

Em situações normais, 18,6 milhões de brasileiros convivem com a ansiedade, conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS). Sendo assim, a pandemia pode desencadear o aumento dos sintomas de ansiedade e depressão. 

Entretanto, é possível vencer esse desafio com paciência e resiliência. Paciência por saber que o pico da contaminação vai cair (assim como nos outros países, como China e Itália) e resiliência para descobrir a força interna. 

E nada melhor do que cultivar a paciência e a resiliência com uma rotina que inclua atividades prazerosas. Veja, portanto, neste artigo 10 dicas que separamos pensando nos idosos que buscam o bem-estar nesse período. 

Rotina: 10 dicas simples para ficar bem na quarentena 

O primeiro passo é manter a rotina, embora a quarentena mude a rotina de trabalho e de estudos de todas as pessoas. Confira a seguir como sair bem desse período. 

1.Manter uma rotina 

Nesse período, com a mudança de rotina, dá vontade de ficar na cama até mais tarde. Mas é importante manter uma rotina de atividades: acordar cedo, trocar o pijama por uma roupa confortável, tomar um café reforçado, tomar sol, fazer uma atividade física, ler um livro, assistir a um filme ou fazer outra coisa que lhe satisfaça. 

2.Fazer atividade física 

A pessoa idosa pode fazer atividade física em ambientes reduzidos. Há muitos exercícios aeróbicos e de alongamento que podem ser feitos com a ajuda de vídeos na internet. Lembrando que a atividade física libera o hormônio da endorfina, que é responsável por relaxar o corpo e diminuir as dores. 

3.Soltar a imaginação com trabalhos manuais 

Com o isolamento social é possível retomar um antigo projeto de aprender pintura, tocar um instrumento ou investir em artesanato. Essas atividades mantêm a mente trabalhando e não deixa brechas para a ansiedade se instalar. 

4.Interagir pelos meios digitais 

O que seria de nós sem as redes sociais e os sites preferidos nesse período de isolamento social? Nos sentiríamos mais isolados ainda. Por isso, é importante que o idoso mantenha o contato com os filhos, netos, irmãos e amigos através dos aplicativos de conversas on-line que podem ser usados no smartphone ou no computador. 

5.Manter uma visão otimista 

É fundamental manter o otimismo e a esperança nesse período, pois tudo isso vai passar. Incentivar o idoso a fazer uma atividade desestressante, como uma oração ou uma meditação, é muito importante. Além disso, deve-se evitar falar apenas em doenças, bem como deixar de conversar com pessoas negativas.

6.Evitar informações negativas 

Para o idoso manter a saúde mental nesse período, é importante não deixá-lo muito exposto a informações negativas. É interessante escolher apenas um jornal para acompanhar. Com a ampla cobertura da mídia ao tema, há inúmeras informações que podem aumentar a ansiedade. 

7.Não dar ouvidos às fake news

Um ingrediente negativo da atual pandemia é a fake news e a velocidade com a qual ela se espalha. Lembrando que na crise do H1N1, em 2009, as notícias falsas não tinham tanto poder de penetração entre os internautas porque o acesso a smartphones não era tão comum. 

Um estudo do Google Consumer Barometer, por exemplo, demonstrou que apenas 14% da população tinha smartphones naquela época. Esse percentual já atingia 62% no ano de 2016. Portanto, com a internet na palma das mãos, o impacto das fake news pode ser maior. Sendo assim, é importante sempre se informar através de fontes oficiais. 

8.Lembrar que o distanciamento social é importante

Apesar de o distanciamento social poder causar angústia e ser entediante depois de um longo período, é importante mostrar ao parente idoso que essa é a principal medida para resguardar a saúde e evitar a circulação do vírus, além de manter a higienização das mãos. Se você mora com seus pais ou avós, passe mais momentos juntos, proponha disputar um jogo de baralho, ver os álbuns de fotos antigas para despertar boas lembranças ou assistir a um filme. 

9.Fazer terapia on-line 

Uma resolução do Conselho Federal de Psicologia liberou o atendimento virtual pelos psicólogos. Sendo assim, se for necessário, a pessoa idosa pode se valer desse recurso para enfrentar com mais calmaria esse período de incertezas. 

10.Alimente-se de forma saudável 

A ansiedade também pode levar ao descontrole da alimentação. Por isso, este pode ser o momento de colocar em prática a reeducação alimentar, com a ingestão de mais itens saudáveis no cardápio. 

Quarentena: driblando o distanciamento físico 

O isolamento social pode fazer crescer a sensação de rejeição e solidão. Nesse sentido, é muito importante que o familiar substitua o contato físico pelo contato virtual ou conversas a distância. 

Há muitos exemplos vindos na internet de pessoas que visitam seus parentes idosos e arrumam um jeitinho de conversar a distância, com barreiras como vidros e portões. Tudo é válido, portanto, para manter a saúde física e mental da pessoa idosa. 

Concluindo, a quarentena da Covid-19 é praticamente um período inédito nas nossas vidas e, por isso, muitos não estão sabendo lidar com ela. Contudo, é importante levar em consideração que pensamentos positivos repercutem em ações construtivas. 

Na Cora Residencial Senior estamos mantendo o protocolo de segurança para manter nossos residentes protegidos. Os residentes contam com equipe multidisciplinar de cuidados, com atenção integral, e são envolvidos em atividades de recreação e estimulação cognitiva durante o dia. 

Para saber mais, clique aqui e conheça melhor a nossa estrutura. 

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência. A sua esquerda se especifica quais cookies e scripts são utilizados e como eles afetam a sua visita. Você pode alterar a sua configuração a qualquer momento.

Para saber mais sobre a nossa Política de Privacidade, acesse: https://www.clinicasaintemarie.com.br/politica-de-privacidade

Essas configurações se aplicarão apenas ao navegador e ao dispositivo que você está usando no momento.

Em particular, este site utiliza o Google Analytics, um serviço de análise web fornecido pela Google, Inc. com sede nos Estados Unidos, com sede em 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, ca 94043.

Para a prestação destes serviços, o Google utiliza cookies que coletam informações, incluindo o endereço IP do usuário, que será transmitida, tratada e armazenada pelo Google nos termos fixados na web Google.com. Isso inclui a possível transmissão de tais informações a terceiros por motivos de exigência legal ou quando estes terceiros processem a informação por conta do Google.

Para consultar o tipo de cookie utilizado pelo Google, além do cookie do Google+ e Google Maps na url abaixo:
>>>https://policies.google.com/technologies/types?

O Google Ad utiliza cookies para exibir anúncios personalizados neste site. Você pode desativar o uso do cookie DART através do anúncio do Google ou acessando diretamente este link https://support.google.com/adsense/troubleshooter/1631343?hl=pt-BR.

Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios quando visita o nosso website. É possível que estas empresas utilizem a informação que recebem de suas visitas a este e a outros websites (sem incluir o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) para lhe fornecer anúncios sobre produtos e serviços que lhe são de interesse.

Ao usar este site, você concorda com o processamento de dados pelo Google na forma e para os fins indicados.

Cookies de redes sociais podem ser armazenadas no seu navegador enquanto você navega pelo blog, por exemplo, quando você usa o botão de compartilhar um artigo em alguma rede social.

As empresas que geram esses cookies correspondentes as redes sociais que utiliza este blog tem suas próprias políticas de cookies:

Cookie do Linkedin, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.linkedin.com/legal/cookie-policy?trk=hp-cookies

Cookie de Facebook, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.facebook.com/policies/cookies/

Cookie do YouTube, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://policies.google.com/technologies/cookies?hl=pt

Cookie de Instagram, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://help.instagram.com/1896641480634370?ref=ig

Assim, as implicações de privacidade serão em função de cada rede social e dependem da configuração de privacidade que tenha nessa rede.

Em nenhum caso podemos obter informações de identificação pessoal de cookies.

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.