beneficios-danca-casa-de-repouso

Conheça os benefícios da dança para a saúde dos idosos

A dança é uma das atividades físicas mais prazerosas. Você movimenta os músculos, se diverte e faz amizades ao mesmo tempo. Na longevidade não poderia ser diferente. Tanto é que existe uma modalidade específica para idosos, que é a dança sênior. Então, quer conhecer melhor os benefícios da dança para pessoas idosas? Acompanhe este post. 

A dança está presente em nossa vida desde a primeira infância. Por mais que a pessoa seja mais tímida e diga que não leva jeito para a dança, basta ouvir um ritmo dançante que já se anima. 

Mas é importante lembrar que no envelhecimento a dança traz ainda mais benefícios à saúde. Isso porque as limitações que acompanham essa fase da vida podem ser amenizadas com a atividade física. Portanto, os reflexos podem ser percebidos no corpo e na mente. 

Só para lembrar, a longevidade é uma conquista das últimas gerações. Ao longo dos anos, a população idosa tem crescido, e a tendência é de que continue aumentando. 

Sendo assim, em 2018, 9,2% do total dos brasileiros tinham mais de 60 anos de idade. Mas em 2060 essa proporção deve subir para 25,5% da população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Dessa forma, é muito importante que a longevidade seja acompanhada de qualidade de vida. Por isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem trabalhado muito com o tema do envelhecimento ativo. E a dança, nesse contexto, tem um papel fundamental. 

Benefícios da dança para o corpo 

Muitos idosos que não são adeptos dos exercícios físicos, sentem-se bem quando vão à academia para dançar. Portanto, confira agora alguns benefícios para o corpo:

  • reduz a tensão e relaxa a musculatura;
  • queima mais de 500 calorias (numa aula de salsa ou samba rock, por exemplo);
  • melhora a frequência cardíaca;
  • potencializa a capacidade respiratória;
  • melhora a flexibilidade;
  • aprimora a postura ao caminhar;
  • melhora a coordenação motora;
  • proporciona equilíbrio, reduzindo as quedas. 

Vantagens para a saúde mental 

Ao trazer benefícios para o aspecto físico, a dança para idosos também impacta positivamente na mente. Sendo assim, anote alguns reflexos positivos na saúde mental do idoso: 

  • aumenta o círculo de amizades;
  • combate o estresse;
  • controla a ansiedade;
  • melhora a comunicação interpessoal; 
  • eleva a autoestima;
  • proporciona prazer e felicidade. 

Por consequência, a dança libera hormônios como endorfina, dopamina e serotonina. Eles, portanto, aumentam a sensação de satisfação e bem-estar consigo. Assim, dá aquela vontade de dançar para repetir a sensação. 

Veja como é possível colocar a dança na sua rotina 

Segundo os educadores físicos, fazer uma aula de dança com duração de 30 minutos, pelo menos 3 vezes por semana, já é suficiente para movimentar o corpo e sentir-se bem.

A dedicação à dança depende do estado de saúde da pessoa idosa. Mas, permite adaptação quando o idoso tem movimentos limitados. Afinal, como você verá adiante neste artigo, há coreografias que podem ser feitas com a pessoa sentada. 

É interessante se inspirar em dançarinos famosos, como o norte-americano Fred Astaire (1899-1987), que dançou profissionalmente até os 70 anos de idade. Porém, mesmo que você não tenha a mesma desenvoltura de um dançarino profissional, lembre-se que cada passo é uma vitória e que a diversão vem em primeiro lugar. 

Outro detalhe interessante é que dependendo do ritmo, você pode trabalhar diferentes grupos musculares. Sendo assim, uma aula de dança de salão movimenta pernas e braços, enquanto que uma aula de dança do ventre trabalha mais a cintura e as costas. 

Dessa forma, o idoso deve procurar um ritmo que o agrade mais e que promova os resultados esperados. 

Saiba o que é dança sênior e como ela pode ser praticada 

Dançar é bom, mas dançar em grupo é melhor ainda. Pensando nisso, foi criada a dança sênior, em meados de 1974, na Alemanha, como uma opção de atividade física prazerosa entre os idosos de uma instituição alemã. 

Também conhecida como DS, a coreografia foi trazida para o Brasil quatro anos depois e encontrou adeptos não somente entre os idosos, mas também entre adultos e crianças. 

Basicamente, as coreografias são simples e se resumem a movimentos de braços e pernas que podem ser repetidos por um grupo de pessoas.

Desse modo, há duas principais modalidades da dança sênior: aquela que pode ser praticada em pé e a que pode ser dançada sentado. Aliás, esse vídeo de um grupo de dança português mostra muito bem os movimentos praticados numa roda de idosos sentados. 

A dança sênior, portanto, não exige movimentos complexos, mas sim segue o ritmo da música. Desse modo, ela pode ser usada como aquecimento para o início das aulas de dança ou simplesmente sozinha, como atividade central do grupo de idosos. 

Assim como outras modalidades de dança, ela traz benefícios como: 

  • flexibilidade;
  • coordenação;
  • agilidade;
  • observação;
  • concentração;
  • manutenção da postura.

Confira como a atividade física pode ajudar na mobilidade 

As pessoas idosas, devido a algumas doenças crônicas, podem ter movimentos mais limitados. Nesse sentido, uma pesquisa do IBGE apontou que 6,8% idosos têm limitações funcionais para realizar Atividades da Vida Diária (as chamadas AVDs), como mover-se. 

Entretanto, a atividade física, como a dança, é uma forte aliada no envelhecimento ativo e na movimentação de grupos musculares até então “travados” pela falta de exercícios. 

Um estudo feito em conjunto por professores da UNESP e da Universidade Anhanguera, ambas em Rio Claro, em 2016, mostrou que há vários estudiosos que defendem a atividade física no envelhecimento justamente para evitar as restrições na mobilidade. 

Segundo os professores, a participação num programa de atividade física, como a dança, a musculação ou a caminhada, é capaz de retardar o declínio funcional no envelhecimento. 

Para concluir, os benefícios da dança no envelhecimento vão além do estímulo nos movimentos musculares. Ela promove a socialização e, dessa forma, reflete na melhoria da autoestima do idoso. 

Por isso, na Cora Residencial Senior há atividades diárias que incentivam o residente a movimentar o corpo, bem como interagir com os demais residentes. Além disso, a dança também está presente na programação mensal com professores de dança e de teatro que levam momentos de descontração aos nossos residentes.

Ficou curioso para conhecer um pouco mais da nossa rotina? Curta nossa página no Facebook e continue acompanhando o nosso blog com dicas de saúde no envelhecimento.

Receba nossos conteúdos por e-mail

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Receba nossos conteúdos por e-mail

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.