Como é o novo tratamento para Alzheimer?

Como é o novo tratamento para Alzheimer?

O Alzheimer é um diagnóstico neurodegenerativo progressivo que costuma atingir pessoas com mais de 65 anos de idade. Ao longo do tempo, pode causar perda de memória e coordenação motora, mudanças de personalidade, dificuldade para se alimentar, entre outros sintomas.

A condição se caracteriza pelo acúmulo de proteínas beta-amiloide no cérebro, que causam a perda de neurônios em algumas regiões do órgão.

Há anos, o Alzheimer é tratado com medicamentos e atividades de estímulo cognitivo, que têm como objetivo minimizar os sintomas e controlar o avanço da doença.  

Recentemente, no entanto, a Food and Drug Administration (FDA), agência que regula o setor farmacêutico estadunidense, realizou um grande feito: aprovou um medicamento que oferece ampla eficácia no tratamento.

Como funciona esse tratamento? 

Desenvolvido pela Biogen, o Aducanumab é o medicamento que promete trazer melhorias para o cotidiano de pacientes com comprometimento cognitivo leve.

O fármaco atua para romper as placas formadas pelas proteínas amiloides no cérebro de idosos. O acúmulo dessas barreiras é responsável por comprimir os neurônios, fator que favorece o avanço do Alzheimer. 

Estudos realizados em um período de 18 meses, constataram uma redução de cerca de 20% nos sintomas de pacientes que receberam altas doses do Aducanumab.

Com um custo estimado em US$ 50 mil por ano, o tratamento com o novo medicamento ainda gera divergências entre a comunidade científica e deve ser submetido a diversas pesquisas e análises. Vale ressaltar, no entanto, que trata-se de um grande avanço para a comunidade impactada por essa condição.

Sintomas do Alzheimer

O Alzheimer possui sintomas claros que, se identificados a tempo, podem colaborar no diagnóstico precoce, fundamental para controlar o avanço da doença.

Entre eles, estão:

  • Dificuldade para falar e realizar tarefas comuns do cotidiano;
  • Perda de memória;
  • Mudanças de personalidade ou comportamentais;
  • Problemas de raciocínio ou linguagem;
  • Desorientação. 

Apesar dos estudos com o Aducanumab, a OMS (Organização Mundial da Saúde) reforça que, para o Alzheimer, ainda não há cura. 

Por isso, ficar atento aos sintomas é a maneira mais eficaz para identificar a doença e iniciar o tratamento recomendado pelos profissionais de saúde.

Conheça a Cora Residencial Senior, especialista em cuidados para idosos com Alzheimer

Nos estágios mais avançados de Alzheimer, pode ser necessária a mudança para uma Instituição de Longa Permanência para Idosos, com cuidados profissionais e estrutura adequada. 

A Cora Senior é um residencial para idosos que oferece atendimento humanizado, realizado por uma equipe multidisciplinar, atividades diárias, de estímulos cognitivo e físico, medicação na hora certa e muito mais.

Nossos profissionais são preparados para atender idosos com diagnóstico de Alzheimer, independente do estágio, e atuam em conjunto, para oferecer a melhor linha de cuidados.

Para completar, o mesmo atendimento pode ser realizado no lar atual da família, por meio do serviço Cora em Casa.

Entre em contato conosco para saber mais!

Receba nossos conteúdos por e-mail

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Receba nossos conteúdos por e-mail

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.