envelhecimento-asilo-de-isosos

Guia completo para manter a mente ativa no envelhecimento

Quase todo mundo pensa em ter um corpo saudável no envelhecimento. Mas poucos se lembram da importância de ter uma mente ativa. Com hábitos sadios e as funções cerebrais em constante atividade, é possível continuar com a cabeça jovial. 

Mas qual é o segredo para preservar as funções do cérebro depois dos 60 anos? Inúmeras pesquisas médicas tentam descobrir como barrar as demências, os transtornos emocionais e a perda de memória. 

Em suma, não há uma receita de bolo. Afinal, o envelhecimento não é igual para todos. Contudo, o que se sabe é que é muito importante manter o cérebro em constante movimento. 

Se o sedentarismo faz mal para o corpo, a falta de produção faz mal para o cérebro. Sendo assim, você verá neste artigo que a ausência de uma ocupação favorece doenças como a depressão, entre outras consequências. 

E só para complementar, a depressão atinge 5% das pessoas em todo o mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Mas você deve estar pensando: que tipo de ocupação posso ter na longevidade? Isso porque a maioria das pessoas que passou dos 60 anos já se aposentou depois de ter feito carreira em uma determinada área.

Quando se chega à maturidade, muitos dos sonhos profissionais já podem ter sido realizados. Entretanto, o desejo de aprender algo novo deve ser constante. 

Aquele antigo sonho de aprender um novo idioma, de se dedicar às artes ou a um hobby não pode ficar adormecido. Afinal, nunca é tarde para colocar anseios antigos em prática. 

Os hobbies estimulam as células do cérebro e tem o poder de proporcionar uma sensação de prazer e bom-humor. Portanto, é hora de aflorar antigos desejos e criar meios para externá-los. 

Sendo assim, se você quer saber como deixar a mente em atividade no envelhecimento, continue a leitura deste artigo. 

Entendendo melhor o funcionamento do cérebro

Já dizia Charles Chaplin: “Nosso cérebro é o melhor brinquedo já criado: nele se encontram todos os segredos, inclusive o da felicidade”. 

E se a busca é pela felicidade e bem-estar, é interessante entender um pouco dessa máquina miraculosa. 

Primeiramente, dentro da caixa craniana temos o encéfalo. Ele integra o Sistema Nervoso Central. O cérebro, portanto, é uma parte do encéfalo. 

Como você deve se recordar das imagens sobre o cérebro, ele é dividido em dois hemisférios: o esquerdo, que o lado racional, ligado às ciências e padrões de pensamento, e o direito, que é o lado criativo, ligado às atividades manuais e percepção da música.

Como consequência, o lado esquerdo controla o lado direito do corpo, enquanto que o lado direito coordena os movimentos do lado esquerdo. 

Sendo assim, o cérebro funciona como um verdadeiro HD interno, concentrando informações e sendo o nosso núcleo de inteligência e aprendizado. 

Ele está em atividade desde o momento em que nascemos até a nossa partida. Portanto, o cérebro coordena as nossas ações voluntárias, como erguer os braços, e involuntárias, como ficar com o rosto vermelho quando estamos envergonhados. 

Os principais operários do cérebro são os neurônios, como são chamadas as células cerebrais, responsáveis pelo recebimento e envio de informações. Temos, em média, nada menos que 100 bilhões dessas células que são interconectadas por sinapses. 

Mas ao contrário do restante do corpo, no qual as células morrem e se regeneram, no cérebro elas não se recompõem a partir de determinados momentos, gerando assim as demências, como o Mal de Parkinson e a Doença de Alzheimer. 

O envelhecimento da nossa estrutura cerebral 

Assim como ganhamos rugas e cabelos brancos, o cérebro também sofre a ação dos anos. Sendo assim, há uma diminuição da massa cerebral, a perda de neurônios e o prejuízo do sistema neurotransmissor. 

Dessa forma, pequenos esquecimentos vão se tornando corriqueiros, bem como nosso tempo de resposta começa a se tornar mais lento. É a nossa mente envelhecendo gradual e lentamente. 

O nosso desempenho cognitivo, portanto, é afetado. Certamente, algumas doenças mais frequentes no envelhecimento, como diabetes, hipertensão, colesterol alto e hipotireoidismo, podem impactar ainda mais nas nossas funções cerebrais. 

Sendo assim, assim como um carro com pouca reserva de combustível, é importante que nós usemos nossa capacidade cognitiva e memória com o que é mais importante, sem “gastá-la” com coisas que podem ser usadas de forma alternativa.  

Isso quer dizer que é interessante recorrer a mecanismos externos para se lembrar de algumas coisas. Portanto, veja nossas dicas que se seguem: 

  • anote aniversários, datas de consultas e encontros importantes na agenda;
  • faça listas de compras, use mapas e utilize agendas de contatos para não tentar concentrar todas as informações na memória cerebral;
  • reserve um espaço na sua moradia para guardar chaves, documentos e óculos;
  • quando quiser se lembrar de algo, anote e repita em voz alta para reforçar a informação no cérebro. 

Como manter a saúde cerebral após os 60 anos

Coração e cérebro andam juntos, você sabia? Isso quer dizer que quanto mais você cuida da saúde do coração, mais seu cérebro é impactado positivamente e se mantém em atividade.

Afinal, 15% do sangue bombeado pelo coração abastece o cérebro. Com os microvasos cerebrais abastecidos, melhores são as funções do órgão. Além disso, o bombeamento de sangue no cérebro estimula a liberação de substâncias do prazer, como endorfinas. 

Por isso, já é sabido que os exercícios físicos auxiliam as funções cerebrais e, portanto, a nossa mente. Elas aumentam o fator neurotrófico, que é um mecanismo de proteção do cérebro. 

Porém, assim como no corpo, não há como estocar tais benefícios. Ou seja, atletas que tiveram uma boa performance física na juventude, mas pararam os treinos após uma certa idade, não são beneficiados com os possíveis reflexos positivos da atividade física. 

Sendo assim, é importante manter uma rotina de atividades físicas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o ideal é realizar, pelo menos, 150 minutos de exercícios por semana, ou seja, cerca de uma hora por dia durante três dias.  

Mas, além de mexer o corpo, é importante nutri-lo adequadamente para ter uma mente saudável após os 60 anos de idade. Assim sendo, alguns nutrientes devem ser priorizados na alimentação, como o ômega 3, que é encontrado em peixes, soja e linhaça, e ajuda no funcionamento do cérebro. 

A saúde cerebral também é alcançada por meio de atividades de estimulação cognitiva, como você verá em detalhes ainda neste artigo. 

Alimentos que são amigos da mente ativa 

Maus hábitos adquiridos na vida adulta podem ser eliminados para darem espaço à uma rotina mais regrada na hora da alimentação. Isso é fundamental para melhorar as funções cerebrais e prevenir problemas neurodegenerativos. 

Portanto a saúde está no seu prato, bem como nas suas escolhas como o tempo de intervalo entre as refeições. O ideal é se alimentar, com poucas quantidades, de três em três horas. 

Nesse sentido, veja agora alimentos que são amigos do cérebro. 

Ômega 3 

O ômega 3 é uma gordura boa capaz de melhorar a memória. É encontrado em alimentos, como atum e sardinha, bem como em folhas verdes e oleaginosas, pode ser consumido também através de suplementação vitamínica com orientação médica. 

Amendoim 

O amendoim também possui gordura boa que é bem-vinda para o cérebro. Além disso, a casquinha contém resveratrol, que é a mesma substância encontrada no suco de uva integral e no vinho. O ideal, no entanto, é consumi-lo in natura, pois o sal pode fazer mal.  

Frutas vermelhas 

As frutas vermelhas são bastante populares e vendidas em feiras e supermercados. São representadas pelo morango, uva, framboesa, amora e acerola, entre outras. Na prática, elas são antioxidantes e possuem ação anti-inflamatória que protege os neurônios.  

Açafrão 

Com menos inflamação, o cérebro fica menos suscetível a processos degenerativos causados pelas doenças demenciais. E o açafrão age justamente com o seu poder anti-inflamatório. Ele contém polifenóis, que pode induzir o desenvolvimento de novos neurônios. O açafrão pode ser usado como tempero de caldos e carnes. 

Verduras escuras 

As verduras verde escuras contêm vitamina K. Pesquisas médicas comprovam que a vitamina K melhora a performance da memória. Sendo assim, é importante que o idoso consuma com frequência hortaliças como couve, almeirão e espinafre. 

Como a ginástica cerebral pode ser colocada em prática 

Quando queremos um corpo musculoso vamos à academia. Mas quando pretendemos ter um cérebro ativo no envelhecimento, devemos recorrer à ginástica cerebral. Você sabe o que é? Veja a seguir. 

Muitas das atividades que fazemos no dia a dia são automáticas. Dirigir, escovar os dentes, colocar as roupas. Entretanto, apesar de isso parecer bastante prático, não faz o cérebro trabalhar. 

Portanto, a ginástica cerebral surge como uma nova experiência para estimular as funções cognitivas. A prática tira o cérebro da zona de conforto e aumenta a qualidade das sinapses, que são as conexões entre os neurônios. 

Por isso, se essas conexões não estão alinhadas corretamente, os dendritos, que processam informações, começam a atrofiar com o passar dos anos. Portanto, os cientistas começaram a pesquisar a neuroplasticidade, que é a capacidade do cérebro de mudar padrões de conexões. Ou seja, se adaptar às mudanças. 

Basicamente, pequenos exercícios que podem ser inseridos na nossa rotina podem ajudar o cérebro a potencializar as suas funções. Confira agora mesmo: 

  • se você é destro, experimente usar a mão esquerda para escovar os dentes ou pentear os cabelos; 
  • ouça uma música procurando identificar os seus instrumentos;
  • experimente colocar as roupas e sapatos com os olhos fechados;
  • brinque de soletrar palavras de trás para frente;
  • escreva com a mão direita (se for canhoto) ou esquerda (se for destro);
  • procure cheiros ou alimentos que lembrem a infância;
  • participe de jogos que estimulam o raciocínio, como o xadrez. 

Atividades feitas em grupo mantêm a mente ativa 

O isolamento a que alguns idosos se impõem, devido ao fato de morarem sozinhos ou ficarem muitas horas do dia longe dos filhos e outros parentes, enquanto eles trabalham, podem acabar repercutindo em mudanças de humor, causando quadros de ansiedade e até depressão. 

Por conta disso, muitos clubes e instituições de longa permanência oferecem atividades direcionadas a este público. As atividades, nesse sentido, são feitas em grupo para incentivar a socialização e a troca de experiências. 

Veja, portanto, algumas atividades que podem ser feitas coletivamente. 

Baralho

O jogo de baralho estimula a concentração e o pensamento lógico. Portanto, existem várias opções para passar o tempo de forma divertida com os amigos.

Xadrez 

Além de ser um desafio intelectual, o jogo de xadrez incentiva o raciocínio, foco e determinação, bem como mexe com o espírito competitivo do idoso.

Videogame 

O videogame não é coisa apenas para adolescentes e jovens. Ele também pode ser aplicado em grupos de idosos, principalmente se sugerir movimentos físicos, como o boliche virtual. 

Jogo de memórias 

Idosos, principalmente com Alzheimer, podem ser beneficiados com o jogo de memórias, pois eles estimulam o raciocínio, fixam a atenção, corrigem deficiências cognitivas e demonstram a facilidade de se desenvolver tarefas simples. 

Cultivar uma horta ou jardim 

A nossa relação com as flores e as hortaliças há muitos anos vem nos causando prazer. Por isso, a energia que emana da terra e da natureza renova o nosso estado de humor e, assim, melhora as nossas funções cerebrais. 

Palavra-cruzada 

O passatempo da palavra-cruzada é centenário e ajuda a rejuvenescer o cérebro, assim como prevenir demências com a prática constante. O jogo usa a lógica para estimular o cérebro a se manter em atividade.

Pintura 

Além de estimular o lado direito do cérebro, que é o lado da criatividade, a pintura favorece a coordenação motora e a movimentação das mãos. Ela também aumenta a autoestima e incentiva a socialização quando é feita em grupo. 

Leitura

Embora possa ser uma atividade solitária, a leitura também pode ser feita em pequenos grupos. Ler estimula a criatividade e a habilidade linguística, já que o envelhecimento pode reduzir o vocabulário. A leitura aumenta também as conexões neurais, fazendo com que o cérebro funcione melhor.

10 dicas para manter a mente em atividade 

Como você viu até aqui, manter a mente em atividade e não se deixar abater pela solidão ou pela falta de atividades que pode acompanhar o envelhecimento, é essencial para uma longevidade bem vivida. 

Sendo assim, resumimos aqui 10 dicas para manter a mente trabalhando, independentemente do passar dos anos. 

  1. Ter uma alimentação saudável e regrada;
  2. Praticar atividades físicas 3 vezes por semana;
  3. Dormir 8 horas por noite;
  4. Meditar;
  5. Fazer Yoga;
  6. Buscar novos conhecimentos;
  7. Fazer atividades manuais;
  8. Eliminar os fatores de estresse do dia a dia;
  9. Interagir mais com as pessoas;
  10. Ouvir música e dançar. 

Outra dica importante, mas que pode ser adotada apenas por pessoas que se sentem saudáveis e nutrem esse desejo, é o de continuar trabalhando. Há muitas histórias de empresários e até mesmo empregados que optaram por continuar trabalhando até a alta idade por sentirem-se bem e recompensados com a sensação de que venceram seus próprios desafios. 

A importância dos 5 sentidos para a mente saudável  

Tato, audição, visão, paladar e olfato fazem parte dos cinco sentidos que nos acompanham desde o nascimento. Porém, na fase de envelhecimento eles não funcionam como na juventude. 

Sendo assim, a precariedade de alguns desses sentidos podem desestimular as pessoas idosas na busca de uma atividade que incentive as suas funções cognitivas. 

Afinal, o envelhecimento desses órgãos sensoriais afetam a qualidade de vida. A perda da capacidade visual e da acuidade auditiva, por exemplo, comprometem desde um trabalho manual até a prática de um jogo de xadrez. 

Sendo assim, o retorno do bem-estar pode ocorrer com o uso de próteses, como óculos apropriados e aparelhos auditivos. 

Outro viés está no aprendizado. O uso dos sentidos ajuda a fixar os conhecimentos e, consequentemente, melhorar a memória.

Uma pesquisa desenvolvida em Harvard demonstrou que o olfato pode estar diretamente ligado ao comportamento e à memória. Basta lembrar que um cheiro de um perfume, por exemplo, pode nos remeter à infância. 

O estudo foi feito com camundongos, que tiveram comportamentos esperados pelos cientistas ao serem submetidos a diferentes odores, e podem ser aplicados aos seres humanos, pois ambos têm o mesmo circuito olfativo. 

Outra pesquisa relacionou a atividade do cérebro diante de determinados cheiros. Pesquisadores mostraram várias imagens a participantes do teste. Algumas imagens estavam relacionadas a certos odores. Ao final, demonstrou-se que as pessoas lembravam mais das imagens às quais tinham sido associadas aos odores do que as fotografias apresentadas sem a associação de um cheiro. 

Portanto, para manter uma mente em constante atividade é importante estimular os vários sentidos, não apenas a visão e a audição. 

Curiosidades do cérebro e da mente

Embora as atividades cerebrais mudem com o passar dos anos, muitas pessoas preservam uma mente saudável na longevidade. Isso porque o envelhecimento não é homogêneo e a mente é um grande mistério, apesar de todas as descobertas científicas. 

Sendo assim, separamos algumas curiosidades para você refletir. Veja: 

  • o cérebro consome 20% do oxigênio do corpo e 15% do fluxo sanguíneo;
  • não é verdade que os humanos usam só 10% do cérebro, como muitos pensam. A comunidade científica afirma que é impossível saber a quantidade;
  • quando o cientista Albert Einstein morreu, o seu cérebro foi extraído para pesquisas, sendo fotografado e pesquisado sob diversos ângulos para entender a origem da sua inteligência; 
  • o cérebro tem mais células do que precisa para funcionar, isso porque a redundância ajuda a compensar a perda de células nervosas; 
  • pessoas que tiveram um AVC ou uma lesão cerebral podem aprender novas habilidades porque algumas áreas do cérebro podem produzir novas células após o acidente;  
  • a irrigação sanguínea no cérebro cai cerca de 20% durante o processo de envelhecimento. A redução é mais concentrada em pessoas que eram tabagistas, hipertensas, diabéticas ou com colesterol alto. 
  • nas pessoas dos grupos citados no item anterior, o risco de perda de células cerebrais é maior. Sendo assim, elas podem desenvolver demências mais jovens. 

O risco da automedicação com remédios para a memória 

Basta fazer uma busca na internet e encontrar uma infinidade de remédios que prometem a solução para a falta de memória. Muitos deles podem ser comprados sem maiores restrições nem fiscalizações. 

Porém é indispensável a opinião médica para consumir medicamentos que estimulem a mente e não prejudiquem o funcionamento dos demais órgãos do corpo. 

Sendo assim, remédios como Ritalina e Venvanse podem ser arriscados, principalmente se forem ingeridos por pessoas idosas de maneira descontrolada, sem um acompanhamento de um especialista. 

Receitas caseiras, com o uso de ervas medicinais, como a ginkgo biloba, que é conhecida popularmente por estimular a mente, também pode ser arriscado. A erva pode causar problemas renais e, em casos mais graves, até convulsões. 

Portanto, o melhor remédio para ter uma mente sadia é uma alimentação equilibrada, longas horas de sono, exercícios físicos regulares e uma boa dose de serenidade, que pode ser conquistada através de sessões de meditação ou Yoga. 

Conclusão 

A população idosa está aumentando no Brasil e no mundo. Ao menos no Brasil, a previsão é a de que em 2060 sejam 58,2 milhões de pessoas. Assim, responderão por mais de 25% da população. Atualmente, são cerca de 9%. 

Assim, é importante que haja uma população saudável, com autonomia e independência para ter uma vida participativa em sociedade. Além disso, superar seus próprios desafios com qualidade de vida e bem-estar. 

Por isso, a mente ativa pode ser estimulada desde cedo com hábitos equilibrados, além de promover um envelhecimento com o suporte necessário. 

A Cora Residencial Senior, nesse sentido, atua em prol do bem-estar das pessoas idosas. 

Isso porque somos uma ILPI (Instituição de Longa Permanência para Idosos) que conta com atividades programadas para estimular a atividade cerebral dos nossos residentes, mesclando atividades físicas e de estimulação cognitiva, como a oferta de trabalhos manuais, jogos de memória, leituras, passeios em grupo e muito mais. 

Que tal conhecer um pouco melhor a nossa rotina? Curta a nossa página no Facebook e acompanhe posts sobre as atividades realizadas em grupo nas cinco unidades localizadas em diferentes bairros de São Paulo, capital. 

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência. A sua esquerda se especifica quais cookies e scripts são utilizados e como eles afetam a sua visita. Você pode alterar a sua configuração a qualquer momento.

Para saber mais sobre a nossa Política de Privacidade, acesse: https://www.clinicasaintemarie.com.br/politica-de-privacidade

Essas configurações se aplicarão apenas ao navegador e ao dispositivo que você está usando no momento.

Em particular, este site utiliza o Google Analytics, um serviço de análise web fornecido pela Google, Inc. com sede nos Estados Unidos, com sede em 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, ca 94043.

Para a prestação destes serviços, o Google utiliza cookies que coletam informações, incluindo o endereço IP do usuário, que será transmitida, tratada e armazenada pelo Google nos termos fixados na web Google.com. Isso inclui a possível transmissão de tais informações a terceiros por motivos de exigência legal ou quando estes terceiros processem a informação por conta do Google.

Para consultar o tipo de cookie utilizado pelo Google, além do cookie do Google+ e Google Maps na url abaixo:
>>>https://policies.google.com/technologies/types?

O Google Ad utiliza cookies para exibir anúncios personalizados neste site. Você pode desativar o uso do cookie DART através do anúncio do Google ou acessando diretamente este link https://support.google.com/adsense/troubleshooter/1631343?hl=pt-BR.

Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios quando visita o nosso website. É possível que estas empresas utilizem a informação que recebem de suas visitas a este e a outros websites (sem incluir o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) para lhe fornecer anúncios sobre produtos e serviços que lhe são de interesse.

Ao usar este site, você concorda com o processamento de dados pelo Google na forma e para os fins indicados.

Cookies de redes sociais podem ser armazenadas no seu navegador enquanto você navega pelo blog, por exemplo, quando você usa o botão de compartilhar um artigo em alguma rede social.

As empresas que geram esses cookies correspondentes as redes sociais que utiliza este blog tem suas próprias políticas de cookies:

Cookie do Linkedin, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.linkedin.com/legal/cookie-policy?trk=hp-cookies

Cookie de Facebook, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.facebook.com/policies/cookies/

Cookie do YouTube, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://policies.google.com/technologies/cookies?hl=pt

Cookie de Instagram, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://help.instagram.com/1896641480634370?ref=ig

Assim, as implicações de privacidade serão em função de cada rede social e dependem da configuração de privacidade que tenha nessa rede.

Em nenhum caso podemos obter informações de identificação pessoal de cookies.

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.