tratamento-imunidade-casa-de-repouso

Qual é o tratamento para imunidade baixa em idosos?

Muito se fala no sistema imunológico, mas você sabe como ele funciona nas pessoas idosas? Assim como o restante do corpo, a resposta imune também sofre o impacto do envelhecimento. Por isso, o tratamento para imunidade baixa é muito procurado. Basicamente ele está associado à alimentação equilibrada e ao estilo de vida saudável. Mas como identificar os sinais da baixa imunidade? Acompanhe mais informações neste artigo. 

Primeiramente, é importante entender como funciona o sistema imunológico das pessoas. Ele é praticamente uma barreira contra qualquer corpo estranho que invade o nosso organismo. Esses elementos são  chamados de antígenos e causam diferentes tipos de doenças. Veja quais são eles: 

  • micro-organismos (bactérias, vírus e fungos);
  • parasitas (vermes);
  • células cancerígenas;
  • órgãos e tecidos transplantados. 

Na prática, o sistema imunológico funciona com “soldados” travestidos de células, tecidos e órgãos. Cada grupo é responsável por barrar, combater e até mesmo guardar informações sobre os antígenos para assim, depois de muitos anos, evitar um novo ataque. 

Nesse sentido, as células responsáveis por nossa imunidade estão, principalmente, nos seguintes grupos:

  • macrófagos: presente no sangue e nos tecidos conjuntivos, são os primeiros a detectar os invasores;
  • linfócitos: estão no sangue e ligam-se aos corpos invasores para destruí-los.  

Essa “máquina destruidora” funciona bem por muitos anos. Obviamente que ela precisa do reforço de vacinas, para se fortalecer perante o inimigo, mas cumpre seu papel na proteção natural contra enfermidades. 

Entretanto, não é sempre assim, pois à medida que envelhecemos, o sistema imunológico fica menos eficaz. 

Isso ocorre porque a resposta imune torna-se mais lenta, confundindo o que é antígeno ao que é próprio do organismo. 

Assim, a quantidade de anticorpos produzidos no corpo de um idoso é a mesma de um jovem, porém, eles são menos capazes de atacar os antígenos. 

Como consequência, reforçar a imunidade é essencial nessa faixa etária. Veja ainda neste artigo como fazer isso. 

Quais são os primeiros sinais da queda da imunidade?

O organismo dá sinais quando algo não está bem com o nosso sistema imunológico. Sendo assim, nós elencamos alguns sintomas da queda na imunidade. Veja quais são eles: 

  • infecções recorrentes;
  • gripes que demoram a passar;
  • febre constante;
  • calafrios;
  • olhos muito secos;
  • cansaço excessivo;
  • enjoos frequentes;
  • diarreia constante;
  • manchas na pele;
  • queda constante de cabelo;
  • otites;
  • herpes labial e na área genital;
  • amigdalite;
  • infecções respiratórias muito frequentes;
  • oscilações no peso corporal;
  • unhas quebradiças. 

Portanto, se a pessoa idosa está com um ou mais sintomas, é interessante procurar um médico. Afinal, ele fará todos os exames necessários e indicará as melhores intervenções. Normalmente se prescreve suplementos vitamínicos e até vacinas. 

Como evitar que a imunidade fique baixa?

Evitar a queda na imunidade exige dedicação e foco. Afinal de contas, a vida saudável deve se tornar um hábito. Isso inclui a exclusão de alimentos gordurosos no cardápio e a adoção de exercícios físicos aliada a uma boa noite de sono. Veja mais detalhes. 

Em primeiro lugar, independentemente da idade, ainda há tempo de iniciar novos hábitos alimentares. Inserir uma dieta equilibrada, com muitas fibras, proteínas, vitaminas e sais minerais no dia a dia é fundamental. 

Portanto, alimentos industrializados e com excesso de sal e açúcar, como você verá adiante, devem ser eliminados. 

Outro ponto essencial é a prática de exercícios físicos. Eles trabalham os músculos e gastam a energia que poderia virar gordura no organismo. Só lembrando que o excesso de gordura no organismo afeta negativamente a reação dos anticorpos perante os antígenos. 

Assim, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda pelo menos 150 minutos de atividades físicas semanais, se forem moderadas. Ou ainda 75 minutos de exercícios por semana, quando eles forem intensos. 

Os idosos podem fazer caminhada, hidroginástica, jogos coletivos, enfim, atividades de estímulo físico para melhorar a imunidade. 

Portanto, com uma alimentação saudável e com o corpo em atividade, é hora também de cuidar da saúde mental. As pessoas idosas geralmente têm muitas preocupações com a família, amigos ou com o próprio estado de saúde. 

Mas é crucial que elas encontrem válvulas de escape para eliminar o estresse, afastando-se de elementos estressores. Uma boa dica é a meditação e o Yoga. Tudo é válido, portanto, para levar uma vida mais tranquila. 

Além de tudo isso, é muito importante respeitar o descanso noturno. Dormir em média 8 horas por dia é fundamental para repor as energias e colocar o funcionamento dos órgãos em dia. 

Como a alimentação pode reforçar o tratamento para imunidade baixa?

Já tratamos aqui no blog do valor de uma alimentação saudável para a alta da imunidade. As pessoas idosas, que sofrem os impactos do envelhecimento nas alterações do sistema imunológico, devem levar a alimentação a sério. 

Nutricionistas apontam, nesse sentido, que alguns alimentos contêm nutrientes que elevam a resposta imune. 

Assim, as frutas cítricas não podem ser esquecidas, como limão, mexerica, pitanga e laranja. Todas elas são ricas em vitamina C e ajudam na formação das células do sistema imunológico. 

Ainda nesse sentido, a ingestão de proteínas e probióticos é excelente. Por isso, feijão, laticínios, ovos e carnes não podem faltar no cardápio. Além disso, iogurtes naturais e sucos, como a kombucha, são fortes aliados. 

Por outro lado, alguns alimentos prejudicam a capacidade do organismo de responder aos invasores externos. Tratam-se de produtos processados, embutidos e com gordura trans. São eles: salgadinhos, refrigerantes, chocolates, bolachas recheadas etc. Eles, portanto, devem ser evitados. 

E, para finalizar, a água é praticamente um remédio natural contra infecções, pois ela elimina as toxinas do corpo e mantém o corpo devidamente hidratado. Deve-se consumir em média dois litros por dia. 

Para concluir, o tratamento para imunidade baixa em idosos inclui a mudança de hábitos e medidas preventivas. Em alguns casos, os médicos podem indicar suplementação vitamínica. Mas lembre-se: é essencial procurar o médico e não se automedicar. 

Em se tratando de alimentação, exercícios e um estilo de vida saudável, a Cora Residencial Senior coloca esses itens no topo da lista de prioridades para com os seus residentes. 

Aqui na Cora, os idosos possuem acompanhamento nutricional e são constantemente estimulados à prática de atividades coletivas que estimulam corpo e mente. 

Aproveite para acessar nosso site e nos conhecer melhor. Se pretender, entre em contato para tirar suas dúvidas. 

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência. A sua esquerda se especifica quais cookies e scripts são utilizados e como eles afetam a sua visita. Você pode alterar a sua configuração a qualquer momento.

Para saber mais sobre a nossa Política de Privacidade, acesse: https://www.clinicasaintemarie.com.br/politica-de-privacidade

Essas configurações se aplicarão apenas ao navegador e ao dispositivo que você está usando no momento.

Em particular, este site utiliza o Google Analytics, um serviço de análise web fornecido pela Google, Inc. com sede nos Estados Unidos, com sede em 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, ca 94043.

Para a prestação destes serviços, o Google utiliza cookies que coletam informações, incluindo o endereço IP do usuário, que será transmitida, tratada e armazenada pelo Google nos termos fixados na web Google.com. Isso inclui a possível transmissão de tais informações a terceiros por motivos de exigência legal ou quando estes terceiros processem a informação por conta do Google.

Para consultar o tipo de cookie utilizado pelo Google, além do cookie do Google+ e Google Maps na url abaixo:
>>>https://policies.google.com/technologies/types?

O Google Ad utiliza cookies para exibir anúncios personalizados neste site. Você pode desativar o uso do cookie DART através do anúncio do Google ou acessando diretamente este link https://support.google.com/adsense/troubleshooter/1631343?hl=pt-BR.

Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios quando visita o nosso website. É possível que estas empresas utilizem a informação que recebem de suas visitas a este e a outros websites (sem incluir o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) para lhe fornecer anúncios sobre produtos e serviços que lhe são de interesse.

Ao usar este site, você concorda com o processamento de dados pelo Google na forma e para os fins indicados.

Cookies de redes sociais podem ser armazenadas no seu navegador enquanto você navega pelo blog, por exemplo, quando você usa o botão de compartilhar um artigo em alguma rede social.

As empresas que geram esses cookies correspondentes as redes sociais que utiliza este blog tem suas próprias políticas de cookies:

Cookie do Linkedin, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.linkedin.com/legal/cookie-policy?trk=hp-cookies

Cookie de Facebook, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.facebook.com/policies/cookies/

Cookie do YouTube, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://policies.google.com/technologies/cookies?hl=pt

Cookie de Instagram, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://help.instagram.com/1896641480634370?ref=ig

Assim, as implicações de privacidade serão em função de cada rede social e dependem da configuração de privacidade que tenha nessa rede.

Em nenhum caso podemos obter informações de identificação pessoal de cookies.

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.