pessoas-acamadas-casa-de-repouso-sp

Pessoas acamadas: conheça os principais problemas de saúde que as afetam

Pessoas acamadas exigem um trato especial para proporcionar bem-estar e, ao mesmo tempo, não adquirirem novas doenças. A falta de mobilidade é comum em algumas doenças, como o Alzheimer em seu estágio avançado, ou em casos de quedas, quando o idoso fratura um membro e precisa ficar em repouso. 

Por vezes, a permanência no leito dura meses e, por isso, é preciso prevenir problemas de saúde, como feridas na pele e pneumonia. Assim, o idoso que já está fragilizado não corre o risco de agravar o seu estado de saúde. 

Sendo assim, a família ou o cuidador mais próximo deve examinar o corpo da pessoa que está acamada para evitar qualquer complicação. Portanto, mesmo que haja uma doença em estágio inicial, pode-se conseguir bons resultados com o diagnóstico precoce. 

Dessa forma, o blog da Cora selecionou alguns problemas que são mais comuns nos idosos acamados e, portanto, precisam ser evitados. Confira a seguir. 

Complicações pulmonares 

Na maioria das vezes, os idosos acamados passam dias e noites imobilizados. Por consequência, eles podem apresentar complicações pulmonares. 

Sendo assim, a imobilidade provoca secreções nos pulmões que evoluem para a congestão pulmonar ou pneumonia, já que os alvéolos pulmonares devem permanecer sempre limpos para se ter pulmões sadios. 

Para evitar complicações como as faladas aqui, o indivíduo deve ser submetido a exercícios respiratórios, coordenados por fisioterapeutas, e contar com a ajuda de um colchão de pressão alternada. 

Sono intercalado

Pelo fato de ficarem na cama, os idosos imobilizados acabam confundindo o dia com a noite e ficam com o sono desregulado. Dessa forma, eles acabam estendendo as horas de cochilo durante o dia e perdendo o sono à noite. Portanto, com o sono intercalado eles não descansam o suficiente e podem perceber os reflexos na alimentação e no estado de humor. 

Perda de apetite 

Como os idosos acamados não gastam energia, acabam perdendo a fome e até mesmo o paladar, pois certamente estão fazendo uso de medicamentos que interferem na percepção do gosto de alimentos e bebidas. 

Portanto, é fundamental que o indivíduo seja acompanhado por um nutricionista, além de contar com o carinho dos cuidadores para se alimentar corretamente. 

Ansiedade e depressão 

Com a alteração nos hábitos, o idoso que antes tinha liberdade para caminhar e passear, por vezes, pode desenvolver problemas de saúde como ansiedade e depressão. Nesses casos, é interessante que o idoso seja acompanhado por um especialista, como um psicólogo ou um terapeuta. 

Dor no corpo 

O fato de ficar horas deitado pode causar muita pressão na coluna vertebral. Uma consequência direta são as dores no corpo, sobretudo na proximidade da coluna. Por isso, é importante que a família busque orientação com especialistas, como médicos e fisioterapeutas, sobre os colchões mais indicados. O colchão de pressão alternada é recomendado. Lembrando que também é preciso fazer a virada de decúbito para evitar a pressão em um único lado do corpo. 

Escaras 

Pode-se dizer que as escaras são o problema mais comum das pessoas acamadas. Elas nada mais são do que feridas causadas pela pressão do corpo em uma mesma posição. 

Sendo assim, o fluxo sanguíneo diminui na região, e a pele pode se romper. Entretanto, é possível perceber os primeiros sinais das escaras e, assim, evitar que elas acometam o idoso. 

Dessa forma, antes de a pele se romper ela pode ficar vermelha, roxa ou com bolhas na região atingida. E outro fator que ajuda o cuidador ou os familiares a identificarem essa alteração está na região na qual os sinais aparecem.

Assim sendo, as escaras são mais comuns em regiões do corpo com ossos salientes, como coxas, calcanhares, joelhos e nádegas. Caso elas surjam, é necessário contar com a ajuda médica para a indicação de remédios e até curativos (em alguns casos) para reconstituir o local afetado. 

Feridas localizadas: ações que podem preveni-las 

Como foi dito, as escaras são comuns nos idosos acamados e podem abrir caminho para infecções. Por isso, veja agora alguns modos de preveni-las. 

Posição

A pessoa acamada deve ser mudada de posição na cama a cada duas horas, a menos que haja uma indicação médica diferente. Por isso, é importante que a pessoa ou profissional que realiza os cuidados anote os horários de mudança.

Ao mudar a posição do idoso, tome o cuidado dele ser levantado e nunca arrastado sobre o colchão para evitar assim a fricção da pele. Outro detalhe importante está nos calcanhares. Sempre deixe um travesseiro macio embaixo das panturrilhas para elevar os calcanhares e evitar a pressão na região. 

Se houver condições de a pessoa ficar sentada, é importante que ela tenha à disposição almofadas macias. Além disso, é preciso que elas sejam levemente levantadas com intervalos de 15 minutos também com o propósito de evitar a pressão e, assim, prevenir escaras. 

Pele 

É fundamental manter a pele da pessoa que está de cama sempre hidratada e seca para evitar problemas como a concentração de fungos ou ressecamento. 

Por isso, prefira cremes hidratantes sem cor e sem cheiro, bem como sabonete sem cor para não ocorrer irritações na derme. Também é importante evitar o uso de água quente nos banhos. 

Ainda no quesito pele, é muito importante que o familiar ou o cuidador contratado fique monitorando a aparência para identificar, com antecedência, a ocorrência de manchas ou bolhas que possam virar feridas. 

Higiene pessoal 

Se a pessoa idosa acamada precisar usar fraldas, também é importante ter um cuidado especial com a higiene para evitar assaduras e outras irritações na pele. Por isso, é importante fazer a troca sempre que ela estiver suja, além de usar pomadas próprias que evitam que a pele fique em contato com a região úmida da fralda.  

Concluindo esse tema, é essencial ter uma abordagem que promova a qualidade de vida das pessoas acamadas, evitando assim o surgimento de novas doenças. 

Aqui na Cora Residencial Senior temos cuidadores que estão sempre atentos a auxiliar os idosos que precisam ficar acamados. Eles pertencem à equipe multidisciplinar de cuidados que atua no sentido de promover a saúde e o bem-estar do residente. 

Quer conhecer melhor os cuidados com os nossos residentes? Se inscreva no nosso canal no YouTube e fique por dentro da nossa estrutura.

Compartilhe o post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência. A sua esquerda se especifica quais cookies e scripts são utilizados e como eles afetam a sua visita. Você pode alterar a sua configuração a qualquer momento.

Para saber mais sobre a nossa Política de Privacidade, acesse: https://www.clinicasaintemarie.com.br/politica-de-privacidade

Essas configurações se aplicarão apenas ao navegador e ao dispositivo que você está usando no momento.

Em particular, este site utiliza o Google Analytics, um serviço de análise web fornecido pela Google, Inc. com sede nos Estados Unidos, com sede em 1600 Amphitheatre Parkway, Mountain View, ca 94043.

Para a prestação destes serviços, o Google utiliza cookies que coletam informações, incluindo o endereço IP do usuário, que será transmitida, tratada e armazenada pelo Google nos termos fixados na web Google.com. Isso inclui a possível transmissão de tais informações a terceiros por motivos de exigência legal ou quando estes terceiros processem a informação por conta do Google.

Para consultar o tipo de cookie utilizado pelo Google, além do cookie do Google+ e Google Maps na url abaixo:
>>>https://policies.google.com/technologies/types?

O Google Ad utiliza cookies para exibir anúncios personalizados neste site. Você pode desativar o uso do cookie DART através do anúncio do Google ou acessando diretamente este link https://support.google.com/adsense/troubleshooter/1631343?hl=pt-BR.

Usamos empresas de publicidade de terceiros para veicular anúncios quando visita o nosso website. É possível que estas empresas utilizem a informação que recebem de suas visitas a este e a outros websites (sem incluir o seu nome, endereço, endereço de e-mail ou número de telefone) para lhe fornecer anúncios sobre produtos e serviços que lhe são de interesse.

Ao usar este site, você concorda com o processamento de dados pelo Google na forma e para os fins indicados.

Cookies de redes sociais podem ser armazenadas no seu navegador enquanto você navega pelo blog, por exemplo, quando você usa o botão de compartilhar um artigo em alguma rede social.

As empresas que geram esses cookies correspondentes as redes sociais que utiliza este blog tem suas próprias políticas de cookies:

Cookie do Linkedin, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.linkedin.com/legal/cookie-policy?trk=hp-cookies

Cookie de Facebook, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://www.facebook.com/policies/cookies/

Cookie do YouTube, de acordo com o disposto em sua Política de cookies.
->https://policies.google.com/technologies/cookies?hl=pt

Cookie de Instagram, segundo o disposto em sua Política de cookies.
->https://help.instagram.com/1896641480634370?ref=ig

Assim, as implicações de privacidade serão em função de cada rede social e dependem da configuração de privacidade que tenha nessa rede.

Em nenhum caso podemos obter informações de identificação pessoal de cookies.

Este site utiliza cookies e scripts externos para melhorar a sua experiência.